Artigo de Opinião: ” Os desafios do Sector do Turismo” (Revista SPOT)

Os desafios do Sector do Turismo

Por Bruno Silva

O Sector do Turismo foi um dos sectores que mais contribuíram para o desenvolvimento económico de Portugal nas últimas décadas, tendo representado 17,4% do PIB nacional em 2021, 11,2% das exportações globais e 6,7% do emprego total, no entanto a pandemia COVID-19 veio mostrar que o crescimento económico nacional não pode depender apenas de alguns sectores de atividade, atendendo a que a pandemia originou quebras muito significativas no Turismo em 2020 e em 2021.

Em termos de alojamento, em 2019, Portugal recebeu 70,2 milhões (M) de dormidas, das quais 49,1M internacionais e 21,1M nacionais. Em 2020 as dormidas caíram 63,2% para 25,8M de dormidas, das quais 12,2M internacionais e 13,6M nacionais. Em 2021 existiu alguma recuperação para 37,3M de dormidas, das quais 18,7M internacionais e 18,7M nacionais, segundo o Turismo de Portugal. Em 2022 é expectável que as dormidas se aproximem das registadas no período pré-pandemia, e para o aumento da oferta e da procura muito contribuiu o alojamento tradicional e o alojamento local, assente na sua grande maioria em micro e pequenas empresas. Também os restaurantes e cafés, experiências e comércio para turistas é fundamental para um destino turístico de qualidade.

O Setor de Turismo enfrenta 10 desafios globais segundo a estratégia Turismo 2027, onde se destaca (1) a qualificação de profissionais, (2) a coesão, ou seja o alargamento do turismo a todo o território nacional, (3) o crescimento em valor, tanto em receitas como em dormidas, (4) o turismo todo o ano, de forma a que o turismo seja sustentável ao longo do ano, (5) as acessibilidades para os destinos, bem como a mobilidade dentro do território, (6) a procura, atingindo mercados com maior valor e que permitam alargar o turismo durante todo o ano e a todo o território, (7) a inovação, através do fomento do empreendedorismo e da inovação, (8) a sustentabilidade, tanto do património cultural bem como do património natural e da identidade local, (9) a simplificação da legislação e burocracia, e (10) a garantia de recursos financeiros para a dinamização do sector.

Portugal pretende que o nosso país seja considerado um destino sustentável, com território coeso, destino inovador e competitivo, em que o trabalho é valorizado, destino para visitar, investir, viver e estudar, país inclusivo aberto e ligado ao mundo e também um hub internacional especializado no turismo. Estes dois últimos anos trouxeram desafios adicionais para o Setor do Turismo em termos de sustentabilidade de um sector que é fundamental para Portugal, no entanto apesar dos desafios recentes o Setor nacional tem-se posicionado em termos internacionais com sucesso e com reconhecimento de qualidade.

Bruno Silva

—> Perfil de Bruno Silva no Facebook
—> Perfil de Bruno Silva no LinkedIn

# Coach, Consultor, Formador e E-Formador, desde 2009, em projectos financiados e não financiados como é o caso de projectos conjuntos formação – acção (AEP, IAPMEI, CAP, AIP, CTP, CCP), projectos individuais SI Qualificação / Inovação / Internacionalização (QREN e P2020),  Empreendedorismo no Feminino (CIG), Cursos de Especialização Tecnológica, Formações Modulares e de Vida Activa, entre outro tipo de projectos, na InnovMark, colaborando em parceria com Instituições de Ensino Superior, Associações Empresariais e de Desenvolvimento Regional, Entidades de Consultoria e de Formação Profissional DGERT.

# Speaker / Orador, desde 2009, com mais de 100 presenças nos principais Congressos, Seminários, Workshops e Conferências nacionais e Feiras de Negócios nas áreas da Inovação, Marketing e Empreendedorismo.

# Fundador e Responsável de Marketing (Community Manager), desde 2006, do Portal Inovação & Marketing, que conta actualmente com mais de 90.000 Subscritores, considerando todos os formatos de subscrição, sendo um dos maiores projectos deste género em Portugal.

# Cronista desde 2006 no Portal Inovação & Marketing, Revista Inovar-te, Portal AEP, Revista Brasileira de Administração, Revista Farmácia Distribuição, E-Go-Marketing, Revista Portugal Inovador (Jornal Público), RTP2, Marketing Farmacêutico e Revista SPOT.

# Fundador e Responsável de Marketing (Community Manager), desde 2013, do “Dish Mob Portugal“, movimento cívico que promove o espírito “Dish Mob”, sendo um movimento nacional importante na promoção do networking e de aceleração de ideias nas áreas da inovação e do empreendedorismo de base local, com cerca de 40 eventos realizados a nível nacional.

Licenciado em Gestão (Pré-Bolonha) (Univ. Minho – 2004), Pós-Graduação em Marketing (IPAM – 2006), Mestrado (Parte Curricular) em Gestão da Inovação, Tecnologia e Conhecimento (Univ. Aveiro – 2007) e Especialização em Empreendedorismo de Base Tecnológica (Univ. Aveiro – 2007)

Experiência nas seguintes temáticas: Gestão de Empresas, Inovação, Empreendedorismo, Marketing, Vendas, Comunicação de Marketing, Marketing Digital, M

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.